Restrições top-down e bottom-up na pesquisa mecanicista

Autores

DOI:

https://doi.org/10.4013/con.2023.193.06

Palavras-chave:

Mecanismos. Filosofia da Ciência. Realismo. Antirealismo. Pragmatismo.

Resumo

Mecanismos desempenham um papel crucial na pesquisa científica em várias disciplinas, e filósofos da ciência têm se dedicado para entenderem sua ontologia e epistemologia. Este artigo examina a relação entre mecanismos e fenômenos, destacando a dependência inerente do delineamento mecanicista na caracterização de fenômenos. Ao reconhecer que a caracterização dos fenômenos é influenciada por considerações pragmáticas e interesses de pesquisa, o artigo argumenta que a pesquisa mecanicista é inerentemente moldada pelas perspectivas dos pesquisadores. Essa dependência levanta preocupações sobre a possibilidade de uma visão realista dos mecanismos. Para comportar essas preocupações, o artigo explora como as restrições top-down, enraizadas nos interesses e preocupações pragmáticas, podem ser balanceadas por restrições bottom-up derivadas de considerações empíricas. Concluindo, eu argumento que a interação entre essas restrições forma um contrapeso empírico e realista da perspectiva natural de restrições top-down.

Biografia do Autor

Matheus Diesel Werberich, Washington University in St. Louis, St. Louis, MO

Atualmente cursa doutorado no programa Philosophy-Neuroscience-Psychology, na Washington University in St. Louis (WUSTL), St. Louis, EUA. Mestre em Filosofia pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM - PPGFil; 2022 - 2023). Licenciado em Filosofia pela UFSM (2017 - 2022).

Downloads

Publicado

2023-12-20