A distinção de Donnellan: semântica ou pragmática?

Autores

  • Murilo Furtado Coura Universidade Estadual de Maringá (UEM)

Palavras-chave:

Descrições definidas, Keith Donnellan, Distinção de Donnellan, Argumento da convenção, Semântica, Pragmática

Resumo

Donnellan notoriamente argumentou que descrições definidas podem ser usadas de duas formas diferentes e que a teoria de Russell não reconheceu essa dualidade. Fazendo uso de alguns insights de Grice, Kripke tentou diminuir a importância da distinção de Donnellan. Para Kripke, a distinção de Donnellan é apenas um caso especial da distinção entre referência do falante e referência semântica, isto é, uma distinção pragmática (não semântica). Ambos Devitt e Reimer apresentaram um poderoso argumento contra a abordagem pragmática de Kripke à distinção de Donnellan: o argumento da convenção. Para eles, o fato de que descrições são regularmente usadas de modo referencial é uma forte evidência de que a distinção de Donnellan é convencional e que, portanto, deve pertencer à semântica. Apoiando-se no argumento da convenção, este artigo tenta mostrar que a distinção de Donnellan é uma distinção semântica e que as críticas de Kripke a ela foram malsucedidas.

Referências

DEVITT, Michael. The Case for Referential Descriptions. In: REIMER, Marga Reimer; Bezuidenhout, Anne (eds.). Descriptions and Beyond. Oxford: OUP, 2004, p. 280-305.

DONNELLAN, Keith S. Putting Humpty Dumpty together again. The Philosophical Review, v. 77, n. 2, p. 203-215, abr. 1968.

_____. Reference and definite descriptions. The Philosophical Review, v. 75, n. 3, p. 281-304, Jul. 1966.

GRICE, H. P. Studies in the ways of words. Cambridge (Mass.): Harvard University Press, 1991.

KRIPKE, Saul. Speaker’s reference and semantic reference. In: OSTERTAG, Gary. (ed.). Definite descriptions: a reader. Cambridge (Mass.): The MIT Press, 1998, p. 225-256.

LARSON, Richard; SEGAL, Gabriel. Knowledge of meaning: An Introduction to Semantic Theory. Cambridge (Mass.): The MIT Press, 1995.

NEALE, Stephen. Descriptions. Cambridge (Mass.): The MIT Press, 1990.

_____. This, that and the other. In: REIMER, Marga Reimer; Bezuidenhout, Anne (eds.). Descriptions and Beyond. Oxford: OUP, 2004, p. 68-182.

REIMER, Marga. Donnellan's distinction/Kripke's test. Analysis, v. 58, n. 2, p. 89-100, abr. 1998.

RUSSELL, Bertrand. Descriptions. In: OSTERTAG, Gary. (ed.). Definite descriptions: a reader. Cambridge (Mass.): The MIT Press, 1998a, p. 35-49.

_____. On denoting. In: OSTERTAG, Gary. (ed.). Definite descriptions: a reader. Cambridge (Mass.): The MIT Press, 1998b, p. 67-77.

SELLARS, Wilfrid. Presupposing. The Philosophical Review, v. 63, n. 2, p. 197-215, abr. 1954.

STRAWSON, P. F. On referring. In: OSTERTAG, Gary. (ed.). Definite descriptions: a reader. Cambridge (Mass.): The MIT Press, 1998, p. 135-160.

Downloads

Publicado

2021-05-07