Diagnóstico arendtiano acerca da modernidade

o ocaso da política e a administração da vida

Autores

DOI:

https://doi.org/10.4013/con.2024.201.07

Palavras-chave:

Era Moderna. Biopolítica. Liberdade. Animal laborans. Esfera Social.

Resumo

O presente texto propõe-se a refletir, no rastro de Arendt, sobre o declínio da política na modernidade diante de sua redução à administração da vida e das necessidades vitais. Para tanto, discutiremos a “moderna alienação do mundo” fomentada pela ascensão do trabalho e da vida, e refletiremos sobre a redução da política à administração da vida diante do advento do social e da vitória do animal laborans. Pressupõe-se que, examinarmos tais categorias nos permite observar o ocaso da política na era moderna e a sua transformação em biopolítica, e, ademais, como esta categoria segue na contramão da noção política da autora. Para a metodologia, realizamos uma exegese filosófica das obras referencias, especialmente a obra A Condição Humana (1958), de Hannah Arendt.

 

Downloads

Publicado

2024-03-27