Reflexões sobre alguns problemas em torno do ensino de filosofia nas universidades brasileiras

Autores

  • Felipe Bezerra de Castro Oliveira Universidade Federal do Ceará

Palavras-chave:

Ensino de filosofia. USP. Formação universitária.

Resumo

Esse texto pretende discutir sobre o ensino de filosofia nas universidades brasileiras. Para tanto, devemos assumir como pressuposto a tese de Paulo Margutti, qual seja, a de que o projeto pedagógico da USP constitui o atual paradigma para os cursos de filosofia no Brasil. Partindo dessa conjuntura, estabelecemos um diálogo crítico com os textos Narcisismo às avessas e a nossa filosofia brasileira (2020) de John Karley de Sousa Aquino e Discurso aos estudantes sobre a pesquisa em filosofia (1998) de Oswaldo Porchat, onde ambos tematizam a filosofia de matriz uspiana e o seu projeto pedagógico. Após uma leitura crítica das principais ideias defendidas por J. K. Aquino e de duas sugestões de Oswaldo Porchat para o ensino de filosofia, concluímos, a partir de Antônio Joaquim Severino, que a formação universitária, nos cursos de filosofia, deve levar em consideração uma tríplice dimensão: científica, profissional e ético-política, o que segundo entendemos, integra alguns elementos da crítica de J. K. Aquino ao paradigma filosófico uspiano e das sugestões pedagógicas de O. Porchat para o ensino de filosofia no Brasil.

Biografia do Autor

Felipe Bezerra de Castro Oliveira, Universidade Federal do Ceará

Mestrando em filosofia pela Universidade Federal do Ceará, com linha de pesquisa em Ética e Filosofia Política.

Downloads

Publicado

2021-08-30