Angústia existencial sob a ótica reflexiva de Sören Aabye Kierkegaard

Maria de Fátima Oliviéri

Resumo


O presente artigo tem por finalidade refletir, analisar e discorrer sobre o complexo processo que envolve o conceito de angústia existencial, sob a ótica de Sören Aabye Kierkegaard, renomado filósofo existencialista do século XIX. A angústia é um tema instigante, fascinante e pertinente na trajetória humana, estando sempre presente em maior ou menor grau no curso da humanidade. O ponto de partida de Kierkegaard em sua reflexão destaca a importância da angústia no processo de escolha frente às situações vividas pelo indivíduo em sua existência. Na perspectiva de Kierkegaard, a angústia é de fundamental importância no que tange à constituição e construção da subjetividade humana, ou seja, na construção da individualidade, de “si mesmo”. Kierkegaard pondera, sobremaneira, o quanto o peso da escolha e das decisões desencadeia o processo de angústia na existência humana. A análise desse fenômeno e suas conseqüências na vida completa o conteúdo do texto em questão.


Palavras-chave


liberdade, angústia, construção, subjetividade, escolha, existência

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN: 1808-5253 - Melhor visualizado no Mozilla Firefox

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0

São Leopoldo, RS. Av. Unisinos, 950. Bairro Cristo Rei, CEP: 93.022-000. Atendimento Unisinos +55 (51) 3591 1122