É possível aprender a coisa sem o nome?

Lucas Costa Roxo

Resumo


O Crátilo é o diálogo platônico que tem como tema central a linguagem. Nele encontram-se teses que influenciaram as mais diversas teorias da linguagem. O diálogo é um debate sobre as concepções naturalista e convencionalista da linguagem apresentadas e refutadas por Platão por não levarem ao conhecimento verdadeiro. Devido a essa limitação Platão propõe uma linguagem ideal representada na afirmação de que “é possível aprender as coisas sem o nome”. O propósito desse artigo é expor as três concepções de linguagem discutida por Platão e, em suas conseqüências, explicitar a dimensão pragmática da linguagem subjacente ao convencionalismo mediante a ambigüidade e imperfeição da linguagem e a relação entre linguagem e conhecimento. E por fim, mediante a idéia de que é possível aprender as coisas sem o nome, estabelecer relação com a oralidade a partir de passagens da Carta Sétima, do Fedro e do Sofista. Esse texto é uma reflexão hermenêutica de compreensão do problema do conhecimento e coisa.

Palavras-chave


Crátilo, convencionalismo, naturalismo, linguagem e conhecimento, oralidade

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN: 1808-5253 - Melhor visualizado no Mozilla Firefox

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0

São Leopoldo, RS. Av. Unisinos, 950. Bairro Cristo Rei, CEP: 93.022-000. Atendimento Unisinos +55 (51) 3591 1122