Hume e a justificação experimental das máximas causais

José Oscar de Almeida Marques

Resumo


No Tratado da Natureza Humana, Hume examinou o estatuto do princípio amplamente aceito de que todo evento tem uma causa e, após decidir que sua verdade não é nem intuitivamente nem demonstrativamente certa, propôs investigar se ele não poderia ser estabelecido pela experiência. Essa investigação foi inconclusiva, pois Hume logo substituiu o problema pelo da validação experimental de outro princípio: o de que causas similares têm efeitos similares, embora tampouco no caso deste uma justificação racional para sua aceitação tenha sido obtida. Como Hume não questiona a validade e o emprego desses princípios, seria correto concluir, como Lewis White Beck, que eles têm o estatuto de princípios a priori no sistema humiano? Neste trabalho, examino e critico alguns possíveis argumentos que poderiam fornecer uma certa justificação experimental desses princípios no interior do sistema humiano.

Palavras-chave


Causalidade, Uniformidade da natureza, Crenças causais

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN: 1808-5253 - Melhor visualizado no Mozilla Firefox

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0

São Leopoldo, RS. Av. Unisinos, 950. Bairro Cristo Rei, CEP: 93.022-000. Atendimento Unisinos +55 (51) 3591 1122