O sentido íntimo na filosofia do abade de Lignac: sua influência e ruptura na concepção de sentido íntimo biraniana.

Autores

  • André Renato Oliveira

Resumo

Este trabalho tem por objetivo demonstrar a originalidade da concepção de sentido íntimo em Maine de Biran, conceito sem o qual nenhum conhecimento seria possível, imprescindível ao reconhecimento de nossa existência individual e elemento  fundamental de sua filosofia. Dado a importância deste conceito em Biran, o propósito desta exposição é o atestar a sua originalidade. Atribuímos o elemento motivador para tal defesa ao fato de que a noção de sentido íntimo já fora tratada anteriormente por outro filósofo inclusive citado por Biran, chamado Lignac. Dito isto, nos advém a questão:  teria então o conceito de sentido íntimo biraniano a sua origem na filosofia de Lignac? Entendemos e defenderemos neste trabalho que embora detectemos a influência de Lignac sobre Biran, é notório mesmo diante das similaridades a existência de profundas divergências entre os filósofos. Quanto às divergências destacamos como a principal delas a ideia de que em Biran a alma nasceria apenas quando ela sente a si mesma, mas a alma só contaria com este sentimento quando ela se reconhece como uma força livre, de modo que, tudo o que precede este momento no qual este sentimento aparece teria de ser excluído de sua existência, não pertencendo senão a vida animal. Já para Lignac, mesmo caracterizando este sentimento de si como fundamental, a alma preexistiria à reflexão e seria posta em ação pelo próprio fato de sua existência em posse de sua individualidade, ou seja, para Lignac ela não poderia criar a si mesma, ela já seria dotada de sua individualidade. Esta concepção coloca em embate as concepções de Lignac com as de Biran, visto que este último defende que o ser humano é criado a partir do sentimento do esforço e por isso não haveria nada que o antecedesse. Para Biran o esforço deve ser entendido como uma espécie de “facho de luz da alma” que a faz surgir do nada e que lhe dá todo o seu ser, assim é a reflexão que para Biran nos dá a primeira ideia de nossa atividade. Dito isto, atestaremos nesta exposição que embora os filósofos de fato possuam um denominador em comum, isto é, a questão do sentimento de si como ponto fundamental, a forma com que os filósofos, apoiam-se e concebem o sentido íntimo são demasiadas divergentes, corroborando assim a originalidade da proposta biraniana em relação a àquela de Lignac.

Downloads

Publicado

2020-12-30

Edição

Seção

Artigos