A QUESTÃO DA TÉCNICA E SEUS DESDOBRAMENTOS EM MARTIN HEIDEGGER

Ricardo Ruthes

Resumo


Heidegger realiza uma investigação sobre a técnica, sendo que está perpassa a pergunta sobre a essência da mesma, tal essência não se faz presente, como se pode pensar, na definição instrumental da técnica, que a toma por um meio para um fim realizado pelo ser humano, e sim deve-se compreender técnica como um modo de desencobrimento do real, que alcança a αλήθεια. Se caracterizando assim como ποίησισ, ou produção, que define bem a técnica antiga. Porém, ao se tratar da técnica moderna tal definição não a atende em sua complexidade, pois, está, ao contrario da antiga, não visa o desencobrimento como ποίησισ e sim um desvelar no sentido de tomar todo o real como disponibilidade de exploração, isso ocorre porque sua essência repousa na composição, que é a força que desafia o homem a dispor do real como disponibilidade, está se torna também destino, que é modo com que o homem desencobre o real.


Palavras-chave


Técnica; Composição; Essência

Referências


HEIDEGGER, M. 2002. A questão da técnica. In: HEIDEGGER, M (Ed.), Ensaios e conferências. 8ª Ed. Petrópolis. Vozes, p. 11- 32.

HEIDEGGER, M. 2010. O fim da filosofia ou a questão do pensamento. 1ª Ed. Petrópolis, Vozes, 130 p.

HEIDEGGER, M. 1991. Os pensadores Heidegger. 1ª Ed. Rio de Janeiro. Nova Cultural, 302 p.

HEIDEGGER, M. 2009. Sobre a questão do pensamento. 4ª. Ed. Petrópolis, Vozes, 98 p.

HEIDEGGER, M. 2005. Ser e tempo. 5ª Ed. Petrópolis. Vozes, 1199 p.

MARCONDES, D. 2010. Textos básicos de linguagem – De Platão a Foucault. 1ª Ed. São Paulo. Zahar, 138 p.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN: 1808-5253 - Melhor visualizado no Mozilla Firefox

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0

São Leopoldo, RS. Av. Unisinos, 950. Bairro Cristo Rei, CEP: 93.022-000. Atendimento Unisinos +55 (51) 3591 1122