O conceito de escravidão na Política de Aristóteles: um problema metafísico ou político?

Matheus Jeske Vahl (UFPel)

Resumo


O presente artigo, de caráter introdutório, não visa emitir um juízo de valor sobre o conceito de escravidão em Aristóteles, mas elucidar pontos nevrálgicos de sua teoria, cuja influência na história do pensamento, sobretudo, no período da colonização europeia na América será notável. O conceito aristotélico encontra seu fundamento em uma “lei natural” que fundamenta a realidade e da qual dependem as ações políticas, por isso, na obra aristotélica encontramos mais uma descrição acerca do tema do que um debate propositivo. O tema ganha envergadura política unicamente na medida em que versa sobre a organização econômica básica que mantém a vida na polis, a oikonomia, onde baseando-se no critério básico do “nível de racionalidade”, o autor apresenta o escravo como um utensílio animado cujo fim é a ação produtiva.

Palavras-chave


Escravidão; Natureza; Política.

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN: 1808-5253 - Melhor visualizado no Mozilla Firefox

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0

São Leopoldo, RS. Av. Unisinos, 950. Bairro Cristo Rei, CEP: 93.022-000. Atendimento Unisinos +55 (51) 3591 1122