Kuhn, Bird e a incomensurabilidade naturalizada: sobre a existência de hábitos cognitivos incomensuráveis

Julian Matte Dutra (Colégio João Paulo I)

Resumo


O objetivo deste artigo é o de apresentar a proposta de Alexander Bird de estabelecer um programa de pesquisa naturalista acerca da tese kuhniana de incomensurabilidade. Essa proposta representa um novo e importante desdobramento do debate filosófico sobre o tema e está embasada em várias pesquisas realizadas no domínio das ciências cognitivas. Em síntese, Bird defende que a incomensurabilidade pode ser concebida como um fenômeno psicológico que pode ser explicado através de hábitos cognitivos incompatíveis, que chama de Capacidades Cognitivas Quase-Intuitivas (QICC’s). De acordo com o autor, sua abordagem representa a retomada da abordagem naturalista sobre o fenômeno da incomensurabilidade que foi assumida pelo próprio Thomas Kuhn em The Structure of Scientific Revolutions (1962) e que, contudo, foi abandonada em seus trabalhos posteriores. Após a Introdução, apresento a tese da incomensurabilidade proposta por Kuhn em 1962 e as principais modificações nessa tese feitas nas três décadas seguintes, passando, na terceira seção do texto, ao projeto de uma incomensurabilidade naturalizada de Alexander Bird. Por fim, concluo o artigo com alguns comentários sobre esse projeto e sobre alguns possíveis desenvolvimentos que a pesquisa pode tomar.

Palavras-chave


Incomensurabilidade; Ciências Cognitivas; Cognição.

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN: 1808-5253 - Melhor visualizado no Mozilla Firefox

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0

São Leopoldo, RS. Av. Unisinos, 950. Bairro Cristo Rei, CEP: 93.022-000. Atendimento Unisinos +55 (51) 3591 1122