O interacionismo sociodiscursivo: como trabalhar com seqüências didáticas e analisar as produções dos alunos de narrativas de aventuras de viagens

Isabel Michelan de Azevedo, Glaís Sales Cordeiro

Resumo


Esta comunicação aponta para os ganhos do dispositivo “seqüência didática”, como é concebida pela equipe de didática de línguas da Universidade de Genebra (Dolz e Schneuwly, 1999; Dolz et al. (2004), e de uma metodologia de análise interacionista sócio-discursiva (Bronckart, 1999) das produções de alunos para a prática do professor em sala de aula. Apresentaremos a síntese dos principais resultados da análise de uma das produções de texto de doze alunos antes e após a aplicação de uma seqüência didática para o ensino/aprendizagem de narrativas de aventuras de viagens na 3a série, elaborada pelos coordenadores e professores de uma escola particular de São Paulo. Na produção inicial, a maioria dos alunos detém conhecimentos sobre um dos componentes básicos da narrativa de aventuras, a ação. Mas a ausência de articulação e de contextualização de múltiplos eventos inesperados deixa evidentes as dificuldades quanto à progressão da aventura, à representação de um interlocutor ausente (leitor) e, conseqüentemente, ao gerenciamento do componente suspense.

Palavras-chave: seqüência didática, análise discursiva, escrita, leitura, ensino/aprendizado.

Texto completo: PDF



ISSN: 2177-6202 - Melhor visualizado no Mozilla Firefox

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0

São Leopoldo, RS. Av. Unisinos, 950. Bairro Cristo Rei, CEP: 93.022 -000. Atendimento Unisinos +55 (51) 3591 1122

Projeto gráfico: Jully Rodrigues


 

SCImago Journal & Country Rank Crossref Member Badge Crossref Similarity Check logo