Produção amadora e midiatização

mediação e alteridade

Autores

DOI:

https://doi.org/10.4013/qt.2022.1020.02

Palavras-chave:

produção amadora, mediação, alteridade

Resumo

A produção amadora de conteúdos com vista à inserção no panorama informacional tem levantado questões que dizem respeito à democracia comunicacional e à alteridade: ao mesmo tempo que permitem a publicização de temáticas, culturas e visões de mundo ao universo midiático, também suscitam uma disputa na produção de sentidos que pode se materializar num enfrentamento mais ou menos hostil. O papel de mediação historicamente delegado ao campo jornalístico, típico da sociedade dos meios, é colocado em xeque diante da incapacidade deste de processar as heterogeneidades sociais emergentes. Neste artigo buscamos articular a discussão da passagem para a sociedade em midiatização com o relativismo moral e o problema do estreitamento discursivo a partir da formação de circuitos alternativos de circulação de conteúdos – que apontam para fenômenos como o da pós-verdade e da proliferação de notícias falsas.

Biografia do Autor

Tiago Segabinazzi, Universidade do Vale do Rio dos Sinos - UNISINOS

Jornalista. Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Comunicação da Unisinos na linha de pesquisa Cultura, cidadania e tecnologias da comunicação.

Micael Behs, Universidade do Vale do Rio dos Sinos - UNISINOS; Universidade do Vale do Taquari - UNIVATES

Professor dos cursos de comunicação na Universidade do Vale do Rio dos Sinos - Unisinos e na Universidade do Vale do Taquari - Univates. Doutor em Ciências da Comunicação.

Referências

BOURDIEU, Pierre. O poder simbólico. 13. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2010.

BRAGA, José Luiz. Circuitos versus campos sociais. In: MATTOS, Maria Ângela; JANOTTI JUNIOR, Jeder; JACKS, Nilda Aparecida. (Org.). Mediação & midiatização [online]. Salvador: EDUFBA, 2012, pp. 29-52. ISBN 978-85-232-1205-6. Available from SciELO Books <http://books.scielo.org>.

BRAGA, José Luiz. Sobre mediatização como processo interacional de referência. In: Trabalho apresentado no GT Comunicação e Sociabilidade do XV Encontro Anual da Compós – UNESP – Bauru, 6 a 9 de junho de 2006. 16 pp. Disponível em <http://www.compos.org.br/data/biblioteca_446.pdf>. Acesso em 26 abr. 2019.

CASTELLS, Manuel. Comunicación y poder. Madri: Alianza, 2011.

FAUSTO NETO, Antônio. A circulação além das bordas. In: Mediatización, Sociedad y Sentido: Diálogos Brasil y Argentina. Rosário: UNR, 2010. (p. 2-17). Disponível em: <http://www.cim.unr.edu.ar/archivos/cuaderno_del_coloquio_final_2.pdf>. Acesso em 26 abr. 2019.

FAUSTO NETO, Antônio. Fragmentos de uma analítica da midiatização. Matrizes, São Paulo, v.2, p. 89-105, 2008.

FAUSTO NETO, Antônio. Midiatização – prática social, prática de sentido. Trabalho apresentado no GT Políticas e Estratégias da Comunicação no XV Encontro anual da Compós – UNESP – Bauru, 6 a 9 de junho de 2006 (15 p.). Disponível em: <http://www.compos.org.br/data/biblioteca_544.pdf>. Acesso em 26 abr. 2019.

FERREIRA, Jairo. As metamorfoses da circulação: dos fluxos às questões de reconhecimento. In: Paulo Cesar Castro. (Org.). A circulação discursiva: entre produção e reconhecimento. 1ed. Maceió: EDUFAL, 2017, v. 1 (p. 109-124).

FERREIRA, Jairo. Como a circulação direciona os dispositivos, indivíduos e instituições. In: BRAGA, José Luiz et al. Dez perguntas para a produção de conhecimento em comunicação. São Leopoldo: Ed. Unisinos, 2013.

GOMES, Pedro Gilberto. A midiatização no processo social. In: GOMES, Pedro Gilberto. A midiatização no processo social: um conceito em evolução. São Leopoldo: Unisinos, 2017a (p. 64-102).

GOMES, Pedro Gilberto. Uma nova ética ou uma nova moral social vigente? In: GOMES, Pedro Gilberto. Dos meios à midiatização: um conceito em evolução. São Leopoldo: Unisinos, 2017b (p. 138-152).

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. 11. ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2006.

LIPOVETSKY, Gilles. Metamorfoses da cultura liberal: ética, mídia e empresa. Porto Alegre: Sulina, 2004.

LYOTARD, Jean-François. A condição pós-moderna. 8. ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 2004.

MACHADO, Roberto. Nietzsche e a verdade. São Paulo: Paz e Terra, 1999.

MAFFESOLI, Michel. Apocalipse: opinião pública e opinião publicada. Porto Alegre: Sulina, 2010.

RAMONET, Ignacio. A explosão do jornalismo: das mídias de massa à massa de mídias. São Paulo: Publisher Brasil, 2012.

SEGABINAZZI, Tiago; MAZZARINO, Jane Márcia. Modernidade em movimento: jornalismo e tecnologias digitais. In: Revista Latinoamericana de Ciencias de la Comunicación. Ano 14, n. 27 (2º sem. 2017). São Paulo: ALAIC. (p. 246-257). Disponível em: <https://www.alaic.org/revista/index.php/alaic/article/view/1033/497>. Acesso em 26 abr. 2019.

SILVERSTONE, Roger. La moral de los médios de comunicación: sobre el nacimiento de la polis de los médios. Buenos Aires: Amorrortu, 2010.

VERÓN, Eliseo. Teoria da midiatização: uma perspectiva semioantropológica e algumas de suas consequências. Matrizes. Revista do Programa de Pós-graduação em Ciências da Comunicação da Universidade de São Paulo, São Paulo, v. 8, n. 1, p. 13-19, 2014. Disponível em: <https://www.revistas.usp.br/matrizes/article/view/82928/85961/>. Acesso em 26 abr. 2019.

WOLTON, Dominique. Informar não é comunicar. Porto Alegre: Sulina, 2010.

Downloads

Publicado

2022-11-18

Como Citar

SEGABINAZZI, T.; BEHS, M. Produção amadora e midiatização: mediação e alteridade. Questões Transversais, São Leopoldo, Brasil, v. 10, n. 20, 2022. DOI: 10.4013/qt.2022.1020.02. Disponível em: https://revistas.unisinos.br/index.php/questoes/article/view/18639. Acesso em: 16 jul. 2024.