A política da escrita e a performatividade da palavra do homem ordinário no método da igualdade de Jacques Rancière

Autores

  • Ângela Cristina Salgueiro Marques, Ana Karina de Carvalho Oliveira, Jean-Luc Moriceau

Palavras-chave:

método da igualdade, poética do conhecimento, Foucault, Rancière, literariedade

Resumo

O objetivo deste artigo é refletir sobre o método da igualdade de Rancière e sobre como ele configura uma operação dissensual que desloca os objetos, temas e discursos de seu lugar habitual nos quadros interpretativos cotidianos e convencionais, para reintroduzi-los no campo das invenções de diferentes formas de linguagem, manifestações e argumentos. A inspiração que Rancière encontrou na obra de Foucault nos ajuda, em primeiro lugar, a compreender o papel da narrativa ficcional e da fabulação na escrita do homem ordinário e os aspectos subversivos e políticos de sua literariedade. Ressaltamos que o método da igualdade nos questiona sobre a construção de novas formas de escrita acadêmica que abrem espaço para outras teorizações e racionalidades, além de buscarem redefinir o status de outros textos considerados “não acadêmicos” na produção de uma poética do conhecimento.

Downloads

Como Citar

JEAN-LUC MORICEAU, Ângela C. S. M. A. K. de C. O. A política da escrita e a performatividade da palavra do homem ordinário no método da igualdade de Jacques Rancière. Questões Transversais, São Leopoldo, Brasil, v. 6, n. 12, 2018. Disponível em: https://revistas.unisinos.br/index.php/questoes/article/view/18082. Acesso em: 27 fev. 2024.