Revisitando o problema das condições de satisfação e a indispensabilidade do i-desire

Autores

DOI:

https://doi.org/10.4013/fsu.2020.213.02

Resumo

Gregory Currie defendeu a indispensabilidade dos i-desejos – um tipo de contraponto imaginativo dos desejos – ao distinguir entre as condições de satisfação dos estados semelhantes ao desejo envolvidos em nossas reações emocionais às tragédias e entre as mesmas com relação a desejos autênticos. No entanto, Fiora Salis mostrou recentemente que o mesmo tipo de distinção também pode ser encontrado em casos não ficcionais e propôs uma solução para a questão das condições de satisfação que dispensam i-desejos. Neste artigo, contesto a posição de Salis e argumento a favor da indispensabilidade dos i-desejos. Para que esse objetivo seja alcançado, argumento primeiramente que a distinção entre as condições de satisfação dos i-desejos e as dos desejos em si pode receber uma explicação diferente e que, nesse caso, o mesmo tipo de distinção não pode surgir em casos não ficcionais; Em segundo lugar, argumento que não podemos dar sentido ao conflito entre nossos estados semelhantes ao desejo desencadeados por ficções e nossos desejos de fundo e, portanto, os i-desejos deveriam ser apresentados para evitar esse conflito.

Palavras-chave: I-desejos, imaginações de desejo, tragédia, desejos imaginativos.

Downloads

Publicado

2020-11-25

Edição

Seção

Artigos