Habermas na prática: avaliação dos princípios das trocas argumentativas no processo deliberativo da ONG Menino Jesus de São Caetano do Sul

Autores

  • Regina Rossetti PPGCom/USCS
  • Paula Belini Pitondo USCS

Palavras-chave:

comunicação de interesse público, esfera pública, gestão social, ONG.

Resumo

Este artigo trata da aplicação da teoria do agir comunicativo de Habermas no terceiro setor e tem como objetivo avaliar os princípios centrais de definição das trocas argumentativas na esfera pública habermasiana presentes no processo deliberativo da ONG Núcleo de Convivência Menino Jesus de São Caetano do Sul a partir da aplicação de umavmatriz avaliativa de favorabilidade. A metodologia envolve pesquisa de campo e revisão teórica sobre comunicação de interesse público, esfera pública, terceiro setor e gestão social. Os resultados indicam que a matriz avaliativa se mostrou eficaz para medir a percepção dos membros do processo deliberativo em relação a aspectos que compõem a deliberação dentro de grupos, identificando os pontos que precisam de mais atenção.

Biografia do Autor

Regina Rossetti, PPGCom/USCS

Professora do PPGCOM da USCS - Universidade Municipal de São Caetano do Sul. Doutora em Filosofia pela USP com pós-doutorado pela mesma instituição.

Paula Belini Pitondo, USCS

Jornalista, Mestre em Comunicação pela Universidade Municipal de São Caetano do Sul

Referências

CANÇADO, Antônio Cardoso; TENÓRIO, Fernando Guilherme;

PEREIRA, José Roberto. 2011. Gestão social: reflexões teó-

ricas e conceituais. Cadernos EBAPE.BR, Rio de Janeiro,

(3):681-703, set.

DOWNS, Anthony. 1962. The Public Interest: Its Meaning in a

Democracy. Social Research: An International Quarterly, Arien

Mack, Editor, 29(1):1-36, Spring.

HABERMAS, Jürgen. 1997. Direito e democracia: entre facticidade e

validade. Rio de Janeiro, Tempo Brasileiro.

HABERMAS, Jürgen. 2014. Mudança estrutural da esfera pública.

São Paulo, Unesp.

HELD, Virginia. 1970. The Public Interest and Individual Interests.

New York, Basic Books.

KOÇOUSKI, Marina. 2012. Comunicação pública: construindo

um conceito. In: Heloiza MATOS (org.), Comunicação pública:

interlocuções, interlocutores e perspectivas. São Paulo, ECA/USP,

p. 71-96.

NÚCLEO DE CONVIVÊNCIA MENINO JESUS (site institucional). https://www.nucleomeninojesus.org.br/. Acesso em:

/01/2020.

MARQUES, Ângela Cristina Salgueiro. 2011. Aspectos teórico-

-metodológicos do processo comunicativo de deliberação on-

-line. Revista Brasileira de Ciência Política, Brasília, 06:19-40,

jul.-dez.

OLIVEIRA, V.A.R.; CANÇADO, A.C.; PEREIRA, J.R. 2010. Gestão social e esfera pública: aproximações teórico-conceituais.

Cadernos EBAPE.BR, Rio de Janeiro, FGV, 8(4):613-626.

PAIVA, A.L. et al. 2018. Em busca das práticas: contribuições epistemo-metodológicas das teorias da prática aos estudos da gestão

social. Administração Pública e Gestão Social, 10(1):4-44.

PITONDO, Paula Belini. 2019. ONG Mulheres do Brasil: planejamento em comunicação para o fortalecimento da esfera pública.

São Caetano do Sul, SP. Dissertação de Mestrado Profissional

em Comunicação de Interesse Público, Universidade Municipal

de São Caetano do Sul.

TAYLOR, Charles. 2010. A esfera pública. Textos Clássicos de Filosofia. Covilhã, LusoSofia:press.

TENÓRIO, Fernando Guilherme (coord.). 2000. Gestão social: metodologia e casos. Rio de Janeiro, Editora FGV.

TENÓRIO, Fernando G. 1998. Gestão social: uma perspectiva conceitual. RAP, Rio de Janeiro, 32(5):07-23.

Downloads

Publicado

2021-03-06