Comunicação e empatia: explorações na trilha de Husserl e Stein

Luis Mauro Sá Martino

Resumo


Na contramão de certos discursos mercadológico-pragmáticos que colocam a empatia como “estratégia” ou “ferramenta”, este texto procura recuperar sua concepção fenomenológica original, presente em Husserl e Stein, articulando-a com uma perspectiva relacional de comunicação. Para tanto, o conceito é pensado para além da noção comum de “colocar-se no lugar do outro” em prol de uma abordagem que ressalta as tensões da empatia, como encontro, presença e conflito, com o comunicar. A proposta desenvolve dimensões da empatia como: (1) componente do encontro sensível e afetivo no ato de comunicação; (2) reconhecimento de si e da alteridade, entrelaçando a singularidade das vivências na formação do espaço comum, e (3) elemento presente nos atos comunicacionais pela via das narrativas, relatos e testemunhos que intermedeiam a relação com o outro. Essas dimensões são vistas em uma perspectiva comunicacional e ética com a alteridade.


Palavras-chave


empatia, comunicação, epistemologia, alteridade.

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .