Paulo Freire e Heidegger: o essencial é deixar aprender

Rosa Maria F. Martini

Resumo


Este trabalho tem por objetivo realizar uma reflexão filosófica sobre o que Paulo Freire e Heidegger pensaram sobre o ensinar e o apreender e a formação do educador. Faz-se essa análise com intenção de refletir filosoficamente os textos iniciais de Paulo Freire, tais como Educação como Prática da Liberdade (1967) e A Pedagogia do Oprimido (1974) e a lição inicial das últimas aulas que Heidegger ministrou na Universidade de Freiburg, nos semestres de inverno e verão (1951 e 1952), publicadas na obra O que Significa Pensar. Trata-se de interpretar a forma como esses dois pensadores aproximam-se da idéia do “deixar aprender”, ao falarem do lugar do educador, embora se situem em formas de racionalidade diferentes. Freire, nos trabalhos citados, compreende o “deixar aprender” a partir de um processo dialético de crítica à educação tradicional, enquanto Heidegger busca interpretar o que significa o ensinar e o aprender, no contexto do que significa pensar, enquanto o educador mesmo precisa colocar-se na posição de alguém que está sendo chamado à tarefa do aprender a pensar como o essencial do ensinar... aprender.

Palavras-chave: deixar aprender, aprender a pensar, aprender a aprender.

Texto completo: PDF



ISSN 2177-6210 - Melhor visualizado no Mozilla Firefox

 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional [atualizado em abril/2016]

Av. Unisinos, 950. Bairro Cristo Rei, CEP 93022-750, São Leopoldo, RS. Atendimento Unisinos +55 (51) 3591 1122 R: 3219
Projeto gráfico: Jully Rodrigues




Crossref Member Badge Crossref Similarity Check logo