Formação de professores de línguas adicionais e letramento em avaliação: breve panorama e desafios para os cursos de licenciatura em LEM no Brasil

Gladys Quevedo-Camargo

Resumo


O Letramento em Avaliação (Stiggins, 1991; Inbar-Lourie, 2008; Fulcher, 2012; Coombe, 2018) dos professores de línguas adicionais em formação inicial e continuada é complexo e possui necessidades únicas (Levi e Inbar-Lourie, 2019). Em 2017, realizei um levantamento eletrônico para verificar a presença do tema Avaliação em Línguas Estrangeiras Modernas nos títulos das disciplinas, nos projetos pedagógicos, nos currículos e nas ementas dos cursos de Letras-Licenciaturas em LEM e dos programas de pós-graduação afins de 50 universidades federais brasileiras. Identifiquei 141 cursos (100%), 17 (12,0%) ofertando disciplinas de Avaliação em LEM e 33 (23,4%) apresentando o tema Avaliação nas ementas de outras disciplinas, com casos em que havia as duas possibilidades. Desses 141 cursos, 4 (2,8%) não disponibilizavam informações online e 39 (27,6%) não disponibilizavam suas ementas. Nos programas de pós-graduação, identificamos 32 (100%) relacionados a LEM, com 4 (12,5%) ofertando disciplinas sobre Avaliação em LEM e 5 (15,6%) mencionando Avaliação em outras ementas. Nenhum caso apresentou as duas possibilidades concomitantemente; 11 (34,3%) não disponibilizaram suas ementas e 2 (6,2%) não disponibilizaram nenhuma informação em seus sítios eletrônicos. Embora esses dados representem parcialmente a realidade brasileira, eles indicam que os cursos de graduação em Letras-Licenciaturas em LEM e os de pós-graduação afins não têm dedicado muito espaço para o Letramento em Avaliação específico que atenda às necessidades da área de línguas.

Palavras-chave: Letramento em avaliação de línguas adicionais; Formação de professores de línguas adicionais; Licenciatura em ensino de línguas adicionais.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.4013/cld.2020.182.10



SCImago Journal & Country Rank

ISSN 2177-6202