Articular engenharia didática, clínica da atividade e ergonomia da atividade: por uma proposta de aprendizagem dos saberes do métier do professor de Francês como Língua Estrangeira

Eliane Gouvêa Lousada, Suélen Maria Rocha

Resumo


O objetivo deste artigo é apresentar uma proposta de formação para professores de francês como língua estrangeira que articula três vertentes teóricas de base vygotskiana (Vygotski, 1934/1997, 2009): a engenharia didática, a clínica da atividade e a ergonomia da atividade. Também temos como objetivo mostrar uma análise das dificuldades dos professores a partir de suas percepções sobre elas, refletindo sobre o papel do método da autoconfrontação nesse contexto formativo. Partindo da hipótese de que a construção dos saberes do métier dos futuros profissionais não depende só de apropriação de saberes teóricos, mas, também, da busca de respostas às perguntas que se colocam na prática, concebemos um dispositivo de formação inspirado em Bulea e Bronckart (2010, 2012), no qual procuramos articular dois tipos de dimensões: a) dimensão epistêmica, em nosso caso, o trabalho com a  transmissão de saberes da didática a respeito do ensino e da aprendizagem dos gêneros textuais; b) dimensão praxiológica, que diz respeito à análise das práticas efetivas, possível, em nosso caso, com o uso de entrevistas em autoconfrontação (Clot et al., 2001) durante e após a implementação das sequências didáticas elaboradas. As análises das entrevistas evidenciaram que as percepções dos obstáculos são transformadas pelo olhar dos pares e pelo olhar do próprio professor, contribuindo para a aprendizagem dos saberes a ensinar e para ensinar (Hofstetter e Schneuwly, 2009) do métier de professor.

Palavras-chave: dimensão epistêmica; dimensão praxiológica; saberes do métier.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.4013/cld.2020.182.05



SCImago Journal & Country Rank

ISSN 2177-6202