Carnavalização e riso: discurso de memes Barbie Fascionista

Dina Maria Machado Andréa Martins Ferreira, Nathalia Viana da Mota, Íkaro Cesar da Silva Maciel

Resumo


Este artigo objetiva analisar a manifestação da carnavalização postulada por Bakhtin, considerando a paródia e o riso ambivalente como eixos produtores de sentido. Elegemos, como corpus desta análise, memes da fanpage Barbie Fascionista publicados no Instagram, em outubro de 2018, então período de eleições presidenciais no Brasil. Nesse contexto político-social era comum, sobretudo em espaços midiáticos, os embates discursivos entre os grupos defensores da esquerda socialista e os grupos proclamadores da direita elitista. Nessa perspectiva, uma análise, à luz da carnavalização, do discurso dos memes da Barbie Fascionista justifica-se pela inversão de sentidos. Tais discursos, observada sua composição verbo-visual, reforçam o papel classicista de poder aquisitivo, conferido à direita, a partir de enunciados pertencentes à classe trabalhadora de esquerda. Assim, é pela ambivalência entre o aspecto discursivo visual e o discursivo verbal que se constroem a paródia e, por consequência, o riso carnavalescos.

Palavras-chaves: meme; carnavalização; paródia; riso.



Texto completo: PDF



ISSN: 2177-6202 - Melhor visualizado no Mozilla Firefox

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0

São Leopoldo, RS. Av. Unisinos, 950. Bairro Cristo Rei, CEP: 93.022 -000. Atendimento Unisinos +55 (51) 3591 1122

Projeto gráfico: Jully Rodrigues


 

SCImago Journal & Country Rank Crossref Member Badge Crossref Similarity Check logo