Representações do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra na imprensa

Laécio Rocha de Sena, Nilsa Brito Ribeiro

Resumo


O trabalho tem como objetivo analisar discursos que colocam em cena o conflito entre o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e fazendeiros, na região sudeste paraense. Os discursos analisados são veiculados em duas chamadas de notícias publicadas em um jornal de circulação regional: Correio do Tocantins, sediado na cidade de Marabá, situada na Amazônia Oriental Brasileira. Nossas análises, fundamentadas em pressupostos teóricos da Análise de Discurso (AD), focalizam a disputa ideológica em relação à formação do espaço agrário na Amazônia, particularmente nas regiões Sul e Sudeste do Pará, caracterizadas por uma história de intensa luta e conflitos pela terra. Destacamos no discurso da imprensa o conflito declarado entre o MST, fazendeiros ou empresas agropecuárias e Governo do Estado. Evidenciamos, também, nas análises, uma prática discursiva da mídia, em que uma imagem negativa deste movimento social vai se construindo, de modo que a relação entre o discurso do fazendeiro e o discurso da imprensa adquire limites tênues. O que se observa é o efeito de ‘captação’ do discurso do fazendeiro pela mídia. Na voz do jornal está presente a heterogeneidade discursiva orientada pelo conflito instaurado, sobressaindo-se, nos discursos, sentidos de criminalização do movimento social.

Palavras-chave: discurso, imprensa, MST.


Texto completo: PDF



ISSN: 2177-6202 - Melhor visualizado no Mozilla Firefox

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0

São Leopoldo, RS. Av. Unisinos, 950. Bairro Cristo Rei, CEP: 93.022 -000. Atendimento Unisinos +55 (51) 3591 1122

Projeto gráfico: Jully Rodrigues


 

SCImago Journal & Country Rank Crossref Member Badge Crossref Similarity Check logo