Reestruturação produtiva e a transformação do ambiente da solda na produção de veículos.

Autores

  • Rodrigo Silva Jardim UFSM

DOI:

https://doi.org/10.4013/rlah.v1i3.106

Palavras-chave:

Reestruturação Produtiva. Trabalho Automotivo. Brasil.

Resumo

O Brasil nasce com o período moderno e suas instituições incorporam, de modo autoritário, as instituições da modernidade ocidental. A alteração nas funções da estrutura do Estado brasileiro, devido à derrota mesmo que parcial das oligarquias dominantes até então, abriu espaço às novas classes sociais urbanas a partir de 1930, significando um marco para a modernidade no país. Assim, a busca de uma identidade nacional como proposta de Estado, concilia modernidade e tradição com feições conservadoras, no que se refere aos atores sociais como parte integrante de um horizonte civilizacional. Houve, nesse momento, a reunião de condições necessárias para o desenvolvimento do Estado, como um sistema que engloba instituições políticas e econômicas, bem como padrões, valores sociais e culturais burgueses. Nesse mesmo momento, verifica-se o aparecimento de uma relativa autonomia industrial brasileira, em termos de capital industrial, que ocorreu a partir da crise mundial de 1929 e da depressão dos anos seguintes. Dessa maneira, a crise possibilitou a oportunidade de mudança efetiva no rumo da economia nacional, em que o primeiro passo vai ao encontro da substituição de importações.

Biografia do Autor

Rodrigo Silva Jardim, UFSM

Sociólogo NEPeS (Núcleo de Educação Permanente da Saúde) da Secretaria de Município da Saúde de Santa Maria – RS, Professor Substituto UFSM/Ciências Sociais.

Downloads

Publicado

2012-03-16