As narrativas dramáticas e obsessivas utilizadas na cobertura política das revistas semanais

Hila Rodrigues, Marta Regina Maia

Resumo


Este trabalho apresenta e problematiza as estratégias discursivas construídas e exploradas pelas revistas Veja, IstoÉ e Época na cobertura política de acontecimentos específicos que, ao longo do ano de 2015, envolveram o ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva, do Partido dos Trabalhadores (PT). A discussão se dá a partir das noções de política como interesse comum e da relação entre sociedade civil e Estado (Santos, 2000; Bobbio, 1986, 1987, 2000; Arendt, 1987, 2002, 2005). Para além do chamado jornalismo declaratório, as narrativas analisadas apoderam-se de recursos dramáticos, outrora observados em maior escala nas editorias de polícia e geral, e são repaginadas de maneira espetacular nas capas das publicações, bem como nas matérias internas, assumindo, ao menos nas revistas em questão, um consenso na forma de abordagem.

Palavras-chave: narrativas, jornalismo, revistas, política, dramatização.


Texto completo: PDF



ISSN: 1806-6925 - Melhor visualizado no Mozilla Firefox

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0

São Leopoldo, RS. Av. Unisinos, 950. Bairro Cristo Rei, CEP: 93.022-000. Atendimento Unisinos +55 (51) 3591 1122

Projeto Gráfico: Jully Rodrigues

Locations of visitors to this page