A ética dos processos comunicativos: discurso, alteridade e espaço público

Ângela Cristina Salgueiro Marques

Resumo


Este texto pretende refletir sobre questões de ordem ético-moral que estão presentes em diferentes dimensões dos processos comunicativos contemporâneos. Em um primeiro momento, explico como Habermas define, por meio da ética do discurso, o processo capaz de permitir a articulação e a negociação entre a pluralidade de pontos de vista e de sujeitos presentes nas sociedades atuais. Em um segundo momento, confi ro destaque ao papel que os meios de comunicação desempenham na interconexão de públicos e discursos dispersos de modo a garantir possibilidades de renovação e atualização de debates coletivos na esfera pública. Argumento que a ética da comunicação não pode confi narse aos dispositivos e fazeres mediáticos, mas deve considerar sua interseção com a prática concreta e as experiências dos cidadãos. 

Texto completo: PDF



ISSN: 1806-6925 - Melhor visualizado no Mozilla Firefox

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0

São Leopoldo, RS. Av. Unisinos, 950. Bairro Cristo Rei, CEP: 93.022-000. Atendimento Unisinos +55 (51) 3591 1122

Projeto Gráfico: Jully Rodrigues

Locations of visitors to this page