A BUSCA PELA EFICIÊNCIA NA FISCALIZAÇÃO DA GESTÃO PÚBLICA: A UTILIZAÇÃO DE INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL PARA APERFEIÇOAMENTO DO CONTROLE DAS FINANÇAS PÚBLICAS

Éderson Garin Porto

Resumo


O esforço da força-tarefa instalada em Curitiba revelou uma estrutura complexa e profissional de exploração dos recursos públicos em proveito de alguns grupos de empresas e pessoas. Cunhou-se a expressão “corrupção sistêmica” para explicar a estrutura montada para aproveitamento indevido do dinheiro dos pagadores de tributos. Os dados apresentados pelo Ministério Público Federal remetem ao questionamento sobre a eficiência dos mecanismos de controle do dinheiro público, pois o aparato estatal e os recursos investidos no controle do dinheiro à disposição do Estado são significativos. O problema levantado na presente investigação possui algumas hipóteses de resposta que serão apresentadas ao longo do texto que segue. No entanto, a contribuição desta pesquisa consiste na proposição de um aperfeiçoamento do controle das contas públicas com o uso da tecnologia já existente, ou seja, a inteligência artificial.


Referências


AIROLDI, Cléia Juçara; SILVEIRA, Maria Aparecida Cardoso da. A transparência na gestão pública como instrumento de controle social. Revista Eletrônica de Ciências Contábeis, ISSN 2357-9080, Taquara, n.6., p. 73. 2015. Disponível em: < https://seer.faccat.br/index.php/contabeis/article/view/165/144>. Acesso em: 24 out. 2017.

BARBOSA, Sandra Pires. Direito à Informação e Controle social da atividade econômica. Revista de Direito Administrativo, Rio de Janeiro, v. 225, p. 70, jul. 2001. ISSN 2238- 5177. Disponível em: . Acesso em: 03 out. 2017.

BENTO, Leonardo Valles. Acesso a informações públicas: princípios internacionais e o direito brasileiro. Curitiba: Juruá, 2015.

BROWN, Liz e SILVER-BALBUS, Shayla. A Triumph for a Transparent and Accountable Government: MacLean's Place in the History of Whistleblower Protection Law. 19 Emp. Rts. & Emp. Pol'y J. 189 (2015).

CAMPOS, Anna Maria. Accountability: Quando poderemos traduzi-la para o português? In: Revista da Administração Pública. Rio de Janeiro. v. 24, n. 2, p. 30-50, 1990. COGLIANESE, Cary e LEHR, David. Improving the Administrative State with Machine Learning. Administrative & Regulatory Law News. Summer 2017, Vol. 42, Issue 4, p.7-9. COGLIANESE, Cary e LEHR, David. Regulating by Robot: Administrative Decision Making in the Machine-Learning Era. Faculty Scholarship. 1734. Texto disponível em: http://scholarship.law.upenn.edu/faculty_scholarship/1734

FIGUEIREDO, Vanuza da Silva; SANTOS, Waldir Jorge Ladeira dos Santos. Transparência e controle social na administração pública. Revista Temas de Administração Pública, ISSN 1982-4637, São Paulo, v.8, n.1. 2013. Disponível em: < http://seer.fclar.unesp.br/temasadm/article/view/6327/4715>. Acesso em: 18 out. 2017.

FREITAS, Juarez; TEIXEIRA, Anderson Vichinkeski. Direito à democracia: ensaios transdisciplinares. São Paulo: Conceito Editorial, 2011. p. 12.

JOHNSON, Peter. Legislative knowledge base systems for public administration: some practical issues. In: ICAIL '91 Proceedings of the 3rd international conference on Artificial intelligence and law, p. 108-117.

LIMBERGER, Têmis. Cibertransparência. Informação pública em rede e a concretização dos direitos sociais: a experiência dos municípios gaúchos. Revista Quaestio Iuris, Rio de Janeiro, v. 08, n. 04, p. 2658, 2015. Disponível em: . Acesso em: 15 set. 2017.

LIMBERGER, Têmis. Transparência administrativa e novas tecnologias: o dever de publicidade, o direito a ser informado e o princípio democrático. Revista do Ministério Público do RS, Porto Alegre, n. 60, p. 60, ago./2007/abr./2008. Disponível em: . Acesso em: 26 set. 2017.

MARTINS JÚNIOR, Wallace Paiva. Transparência administrativa: publicidade, motivação e participação popular. São Paulo: Saraiva, 2004.

MENDES, Gilmar Ferreira; BRANCO, Paulo Gustavo Gonet. Curso de direito constitucional. 10. ed. rev. e atual, São Paulo: Saraiva, 2015.

PORTO, Éderson Garin; CASTRO, Fabio Caprio Leite de. A lei de responsabilidade fiscal e os meios eletrônicos como forma de promoção da transparência fiscal na gestão pública. Revista Jus Navigandi, ISSN 1518-4862, Teresina, ano 11, n. 1080, 16 jun. 2006. Disponível em: . Acesso em: 24 out. 2017. QUINTANA, Alexandre Costa; JACQUES, Flávia Verônica; MACAGNAN, Clea Beatriz. Transparência: instrumento para governança pública no Brasil. Porto Alegre: Entremeios, 2013.

SALES, Tainah Simões; MARTINS, Ana Laís Pinto. Planejamento, transparência, controle social e responsabilidade na administração pública após o advento da lei de responsabilidade fiscal. NOMOS: Revista do Programa de Pós-Graduação em Direito da UFC, ISSN 1807-3840, Fortaleza, v. 34, n. 1, p. 249. 2014. Disponível em: < http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/12033>. Acesso em: 24 out. 2017. SILVEIRA, Maria Aparecida Cardoso da; TEIXEIRA, Anderson Vichinkeski. Responsabilidade fiscal do administrador público: transparência, controle e fiscalização. Florianópolis: Conceito Editorial, 2009. p. 40 e 44.

SNELLEN, I. Th. M. E Van de DONK, W.B.H.J. Public Administration in a Information Age. Amsterdã: IOS Press, 1998.

WIIG, Karl M. Knowledge management in public administration. In: Journal of Knowledge Management, Vol. 6 Issue: 3, p. 224-239.


Texto completo: Sem título

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN: 2526-9348. Melhor visualizado no Mozilla Firefox

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Av. Unisinos, 950, Cristo Rei, 93022-750, São Leopoldo, RS, Brasil. Atendimento Unisinos +55 (51) 3591 1122