Call For Papers

CHAMADA DOSSIÊ TEMÁTICO: POLARIZAÇÃO, INTOLERÂNCIA E INCIVILIDADE

  

Caro (a) pesquisador (a),

 

Convidamos pesquisadores e pesquisadoras interessados em discussão do campo da comunicação a participarem do “Dossiê Temático: Polarização, Intolerância e Incivilidade” da Revista Questões Transversais - Revista de Epistemologias da Comunicação (ISSN: 2318-6372), 2019/2. 

*

Em 2017, o historiador escocês Niall Ferguson salientou a importância de atentarmos academicamente para o crescente processo de polarização que ocorre nas redes digitais. Durante sua fala no seminário da série "Fronteiras do Pensamento", realizado em São Paulo, o professor de Harvard afirmou que as características das redes digitais facilitam a promoção de polarizações, visões extremistas e fake news, que acabam levando a sociedade a processos de incivilidades e intolerâncias. Percebe-se que esse cenário indicado por Ferguson se tornou ainda mais evidente atualmente, com especial força no contexto das eleições brasileiras de 2018.

*

A tese do historiador tem um viés problemático. Certamente, não se pode considerar que a espécie tenha sido tolerante, civilizada e harmônica em seus diversos períodos históricos de turbulência e intensificação do conflito social. A polarização pertence à história da espécie. Os conceitos de luta de classes e de luta pelas classificações são exemplos de como isso aparece nos campos epistemológicos reconhecidos pelo mundo acadêmico. As teorias sociais do conflito, em geral, tendem a valorizar isso como formato da transformação social.

*

Nesta chamada, entretanto, a proposta é a busca por uma especificidade comunicacional. Que sistemas, estruturas e esquemas de inteligibilidade, na perspectiva do midiático e/ou da comunicação nos permitem compreender os fenômenos atuais? Que formas e “lógicas” a polarização desenvolve no contexto comunicacional contemporâneo? Como organizar nosso conhecimento sobre o tema?

Não se trata apenas de descrever o que se sabe (tipo: comentários sobre uma notícia, verdadeira ou falsa, em aplicativos diversos, que revelam a intolerância, incivilidade e polarização entre os interlocutores). A descrição é uma importante forma de se referir a questão, por um olhar observador. Mas o objetivo está além dessa visada: buscamos interpretações no campo da comunicação, incluindo aquelas que acentuam os processos midiáticos, que sejam fecundas para entender isso que é descrito e experimentado por uma parcela significativa da sociedade.

A expectativa do dossiê é que o campo da comunicação possa oferecer epistemologias que avancem além das filosofias, teorias políticas, sociológicas, antropológicas e psicológicas estabelecidas sobre esse processo.

A angulação epistemológica é aberta, desde que valorizadas linhagens de pesquisa no campo: cibercultura, mediações, midiatização, economia política da comunicação, semiótica, e outras linhas de abordagem que se assumam como perspectiva comunicacional.

 

Prazo limite para submissões: 30 de junho de 2019.

Publicação: segundo semestre de 2019.

 

Os editores

Jairo Ferreira – Universidade do Vale do Rio dos Sinos – Unisinos, São Leopoldo, RS, Brasil

José Luiz Braga – Universidade do Vale do Rio dos Sinos – Unisinos, São Leopoldo, RS, Brasil

Co-editor

Potiguara Mendes - Universidade Federal de Juiz de Fora – UFJF, Juiz de Fora, MG – Brasil, Brasil

Submissões em: http://revistas.unisinos.br/index.php/questoes/pages/view/submiss%C3%A3o

Diretrizes para Autores - Normas de Publicação em: http://revistas.unisinos.br/index.php/questoes/pages/view/normasdepublicacao