A circulação como instância reconfiguradora do jornalismo midiatizado

Demétrio de Azeredo Soster

Resumo


Observa-se, no artigo, como a instância circulação reconfigura o jornalismo midiatizado. Circulação aqui compreendida não apenas como lugar de passagem, ou mecanismo viabilizador de operações editoriais, mas como instância organizadora de uma nova “arquitetura comunicacional”, nas palavras de Fausto Neto (2010). Por esta visada, a circulação não apenas afeta os vínculos entre produtores e receptores, como sugere a existência de novos modos de interação entre instituições, mídias e atores sociais. As reflexões são ilustradas com a análise de dois eventos. O primeiro deles envolve protestos ocorridos a partir de junho de 2013 em todo o Brasil. O segundo, ocorrido em fevereiro de 2016, no litoral argentino, diz respeito a um golfinho morto na praia.

Palavras-chave


midiatização, circulação, jornalismo, jornalismo midiatizado, reconfiguração

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .