Circulação em rede: a complexa comutabilidade dos polos de produção e recepção no fluxo comunicacional digital

Moisés Sbardelotto

Resumo


Este artigo articula uma reflexão teórico-metodológica sobre a complexidade da circulação em um contexto de midiatização digital, em que ocorre a emergência de novos interagentes comunicacionais em conexão. Primeiramente, revisam-se criticamente algumas linhas de análise presentes em estudos sobre circulação. Em seguida, problematiza-se a organização da circulação do socius em plataformas sociodigitais como Facebook e Twitter, propondo uma articulação teórico-metodológica para a observação e descrição dos processos de circulação no ambiente digital, a partir da emergência das chamadas redes comunicacionais e dos circuitos que as mobilizam. A partir disso, reflete-se sobre a comutabilidade produção-recepção nos processos de circulação em rede, considerando-se que tais polos só existem reciprocamente, constituindo-se mutuamente mediante a dinâmica da circulação. Por fim, à guisa de conclusão, afirma-se que, em redes comunicacionais, os polos de produção e de recepção não desaparecem, mas não é mais possível fixá-los em um sujeito social específico. Nessa diversidade de interagentes em rede, a circulação do socius leva à sua própria reconstrução social.

Palavras-chave


circulação, redes comunicacionais, midiatização digital, Facebook, Twitter

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .