Rosto e cena de dissenso: aspectos éticos, estéticos e comunicacionais de constituição do sujeito político

Ângela Cristina Salgueiro Marques, Frederico da Cruz Vieira de Souza

Resumo


Neste artigo, pretendemos refletir acerca da constituição do sujeito político a partir de dois conceitos específicos, rosto (Lévinas, Butler, Deleuze e Guattari) e cena de dissenso (Rancière, Habermas), de modo a evidenciar como, ao “aparecerem”, os indivíduos produzem uma cena polêmica de dissenso, desencadeando um processo de subjetivação e de criação de formas dissensuais de expressão e comunicação que inventam modos de ser, ver e dizer, configurando novas formas de enunciação coletiva. Isso remete à invenção de novas visualidades e interlocuções nas quais se inscreve o rosto, definido aqui como o vestígio de um lugar do outro que se transforma na promessa do meu próprio lugar, assumindo caráter político e comunicacional, num processo incessante de subjetivação política em que ética e estética se tangenciam.

Palavras-chave


rosto, cena de dissenso, sujeito político, comunicação.

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

Locations of visitors to this page