A importância das expectativas de inflação e dos preços administrados para a política monetária brasileira: Uma análise através da função de reação do Banco Central

Aniela Fagundes Carrara, Claudio Eurico Seibert Fernandes da Silva

Resumo


Na última década, a inflação brasileira passou por períodos de forte elevação, bem como por momentos de queda expressiva, chegando a ficar abaixo da meta, como aconteceu em 2017. Observou-se também períodos de juros reais bastante elevados e bastante baixos, períodos de forte controle de preços administrados e de correção desses preços.  O objetivo deste trabalho é avaliar as influências que os preços administrados e as expectativas de inflação têm exercido sobre as decisões de política monetária, mais especificamente sobre a definição da taxa básica de juros da economia. Com vistas a contemplar este objetivo, foi calibrada uma função de reação ou regra de Taylor, nos moldes da que faz parte do modelo semiestrutural de pequeno porte utilizado pelo Banco Central e o método de estimação empregado foi o de Autorregressão Vetorial com Correção de Erro (VEC) na sua versão estrutural. Os resultados demonstram que a definição da taxa Selic tem se baseado consideravelmente no desvio da expectativa de inflação em relação à meta e nos preços administrados diretamente e indiretamente pelo seu impacto nas expectativas. A influência dessas variáveis na definição da taxa Selic é bem maior do que a das variações na atividade econômica.




DOI: https://doi.org/10.4013/pe.v16i1.19187



ISSN: 1808-575X - Melhor visualizado no Mozilla Firefox

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0

São Leopoldo, RS. Av. Unisinos, 950. Bairro Cristo Rei, CEP: 93.022-000. Atendimento Unisinos +55 (51) 3591 1122
Projeto gráfico: Jully Rodrigues
 
 
 
 
 
   
Crossref Member Badge Crossref Similarity Check logo