Alocação eficiente entre ativos de renda variável, Brasil, 2014

Werllin Antonio Silva, Sérgio Magno Mendes, Aline Cristina Cruz

Resumo


Este estudo se propõe a determinar a alocação eficiente de ativos de renda variável no Brasil, em 2014. Diante disso, o suporte teórico usado refere-se à Teoria do Portfólio de Markowitz (1952) e ao Modelo de Índices Múltiplos Ortogonalizados (Soderlind, 2014). Como método, mensura-se o retorno de todos os ativos de renda variável no período analisado, selecionando-se os mais rentáveis e de maior liquidez para compor a carteira ótima. Os ganhos desta carteira foram, então, confrontados com os retornos de outros ativos de renda fixa. Entre os resultados, observa-se que a composição da carteira eficiente é formada por cinco ativos de empresas de diferentes setores: Tractebel, Banco do Brasil, Souza Cruz, Braskem e Sabesp, cuja composição deve respeitar a seguinte proporção: 34,5%; 10,4%; 42%; 1,8% e 11,3%, respectivamente. Constatou-se ainda que o retorno obtido pela carteira é significativamente superior ao obtido pelos títulos de renda fixa.

 


Texto completo: PDF



ISSN: 1808-575X - Melhor visualizado no Mozilla Firefox

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0

São Leopoldo, RS. Av. Unisinos, 950. Bairro Cristo Rei, CEP: 93.022-000. Atendimento Unisinos +55 (51) 3591 1122
Projeto gráfico: Jully Rodrigues


Crossref Member Badge Crossref Similarity Check logo