“Uma família que trabalha”: oficinas de geração de trabalho e renda da Reabilitação, Trabalho e Arte de Pelotas (RS)

Pâmela Volz Pammi, Elaine Tomasi

Resumen


Com o objetivo de destacar a importância da reciprocidade (dar, receber e retribuir) frente à estigmatização social pela doença no processo de inclusão social pelo trabalho, o presente artigo analisa as relações estabelecidas entre profissionais e usuárias no interior das ofi cinas de geração de trabalho e renda da Reabilitação, Trabalho e Arte (RETRATE) de Pelotas (RS). Pautado essencialmente nas contribuições teóricas de Goffman, Guareschi e Caillé, conjugadas estas, por sua vez, à proposta metodológica trazida pela sociologia da vida cotidiana, o trabalho apresenta os discursos e as práticas presentes no cotidiano das ofi cinas da RETRATE. O resultado obtido é a constatação de que, apesar das tensões e contradições existentes no processo de inclusão social pelo trabalho, a tríplice obrigação (dar, receber e retribuir) é concebida como preponderante entre o grupo, sendo essencial para a ressignificação identitária dos portadores de transtornos mentais e para a minimização do estigma social da doença.

Palavras-chave: saúde mental, estigma, reciprocidade.


Texto completo: PDF (Português (Brasil))



Av. Unisinos, 950 - B. Cristo Rei / CEP 93.022-000 - São Leopoldo (RS) Central de Relacionamento Unisinos: +55 (51) 3591 1122 Ext.: 3219

Designed by Jully Rodrigues

 

Licença Creative Commons

This work is licensed under a Creative Commons Atribuição 2.5 Brasil License. Melhor visualizado no Mozilla Firefox