Entre o ethos aristocrático e o associativismo: futebol amador e competência esportiva na cidade de São Paulo (1920-1930)

Diana Mendes Machado da Silva

Resumo


Inúmeras transformações urbanas e socioculturais caracterizaram a cidade de São Paulo no período 1920-1930, modificando lugares sociais, costumes e padrões de conduta. O futebol não ficou imune a tais mudanças. Duas experiências, a princípio antagônicas, revelam como essa instabilidade marcou a formação do campo esportivo na cidade. A partir da documentação interna da Associação Atlética Anhanguera e do Clube Atlético Paulistano, representantes, respectivamente, dos clubes populares varzeanos e dos clubes de elite, o presente artigo compara momentos das trajetórias das duas associações: apresenta as diferenças na forma como se apropriaram do futebol e as semelhanças em sua recusa a modernos critérios de organização como a competência esportiva. Embora tal rejeição tivesse por base tradições muito diferentes: o associativismo familiar e de socorro mútuo, por um lado, e o ethos aristocrático, por outro, ela acabou por contribuir para a formação da ideia de amadorismo, substancial para as práticas e representações do futebol paulistano.

Palavras-chave: futebol amador, associativismo, ethos aristocrático, Associação Atlética Anhanguera, Clube Athletico Paulistano.


Texto completo: PDF



ISSN: 2236-1782 - Melhor visualizado no Mozilla Firefox

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

São Leopoldo, RS. Av. Unisinos, 950. Bairro Cristo Rei, CEP: 93.022 -000. Atendimento Unisinos +55 (51) 3591 1122
Projeto gráfico: Jully Rodrigues




SCImago Journal & Country Rank Crossref Member Badge Crossref Similarity Check logo