A repressão condecorada: a atribuição da Medalha do Pacificador a agentes do aparato de segurança (1964-1985)

Mariana Joffily, Maud Chirio

Resumo


A atribuição de Medalhas do Pacificador ao longo da ditadura militar brasileira a agentes do Estado envolvidos na repressão política é o objeto desse artigo. A investigação tem por objetivo compreender o perfil dessa medalha, os critérios de concessão da honraria, as justificativas, a proporção dos membros da comunidade de informações entre os agraciados e em que momentos isso foi feito. Para tanto, a lista dos condecorados foi cruzada com levantamentos efetuados por ex-presos políticos e grupos de defesa dos direitos humanos de agentes do Estado denunciados por terem praticado atos de tortura. Conclui-se que o número de agentes repressivos condecorados com a Medalha do Pacificador é reduzido no universo dos agraciados, mas expressivo quando se considera sua modalidade mais prestigiosa, “com Palma”. Além disso, comprova-se que os encarregados da perseguição política no período, responsáveis por inúmeros casos de violação dos direitos humanos, não foram condecorados a despeito do que fizeram, mas porque o fizeram.

Palavras-chave: ditadura militar, repressão política, Medalha do Pacificador.


Texto completo: PDF



ISSN: 2236-1782 - Melhor visualizado no Mozilla Firefox

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

São Leopoldo, RS. Av. Unisinos, 950. Bairro Cristo Rei, CEP: 93.022 -000. Atendimento Unisinos +55 (51) 3591 1122
Projeto gráfico: Jully Rodrigues




SCImago Journal & Country Rank Crossref Member Badge Crossref Similarity Check logo