Dar a ver memórias indizíveis. O presente do passado da escravidão em Ouidah, Benin

Gaetano Ciarcia

Resumo


Através da trajetória de “pessoas-recursos”, que equilibram patrimônio nativo com transmissão do saber letrado, este artigo pretende perceber como os usos memoriais e patrimoniais do passado de escravidão estão ligados à renovação das antigas tradições religiosas, como o vodu, em Ouidah, Benin. Equilibrados entre o conhecimento erudito da tradição e a adesão moral e ritual aos “segredos” do vodu, os transmissores de memórias culturais operam uma reapropriação carismática do capital cultural. Este é constituído pela “tradição” e pelo passado do comércio de escravos, de que eles afirmam ser ao mesmo tempo os conhecedores e os detentores.

Palavras-chave: memórias, escravidão, religião vodu, tradição.


Texto completo: PDF



ISSN: 2236-1782 - Melhor visualizado no Mozilla Firefox

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

São Leopoldo, RS. Av. Unisinos, 950. Bairro Cristo Rei, CEP: 93.022 -000. Atendimento Unisinos +55 (51) 3591 1122
Projeto gráfico: Jully Rodrigues




SCImago Journal & Country Rank Crossref Member Badge Crossref Similarity Check logo