Rios, lagoas, cachoeiras e rebojos: religiosidade no espaço fluvial Nambiquara

Anna Maria Ribeiro Fernandes Moreira da Costa

Resumo


O artigo tem como objetivo apresentar a simbologia que envolve o espaço fluvial dos grupos indígenas Nambiquara, localizados a Oeste do Estado de Mato Grosso, na Terra Indígena Nambiquara, demarcada pela Fundação Nacional do Índio em 1968, em plena Amazônia Legal. A linha que contorna o espaço apreendido e ocupado pelos Nambiquara tece-se nas urdiduras das suas representações culturais e resulta de um processo etno-histórico no decurso do contato entre povos indígenas vizinhos e grupos sociais oriundos de diversas partes do Brasil. O espaço Nambiquara é apreendido em suas representações, imagens e concepções, construído em função de seus sistemas de pensamento e de suas necessidades. A água, concebida e envolvida em significados míticoreligiosos, é o ponto de partida para o reconhecimento de seu território, é o primeiro traço registrado na cartografia improvisada na areia fina do pátio das aldeias, numa escrita efêmera, reformulada constantemente nas páginas de suas memórias.

 

Palavras-chave: Nambiquara, mítico-religioso, espaço fluvial, representações culturais.


Texto completo: PDF



ISSN: 2236-1782 - Melhor visualizado no Mozilla Firefox

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

São Leopoldo, RS. Av. Unisinos, 950. Bairro Cristo Rei, CEP: 93.022 -000. Atendimento Unisinos +55 (51) 3591 1122
Projeto gráfico: Jully Rodrigues




SCImago Journal & Country Rank Crossref Member Badge Crossref Similarity Check logo