Lenhos in situ de coníferas do Triássico Superior, em depósitos de canais fluviais da Formação Caturrita, Faxinal do Soturno, Rio Grande Do Sul, Brasil

Alexandra Crisafulli, Rafael Herbst, Tânia Lindner Dutra

Resumo


Três novos registros de lenhos gimnospérmicos são descritos para níveis da Formação Caturrita. O material lenhoso foi identificado em uma exposição às margens do Rio Soturno, em Faxinal do Soturno, Rio Grande do Sul, em áreas a leste daquelas tradicionalmente conhecidas pela presença de lenhos petrificados no sul do Brasil (São Pedro do Sul e Mata). O interesse em seu estudo, além de ampliar o conhecimento sobre este tipo de fóssil no sul do Brasil, provém de sua ocorrência in situ em depósitos representativos de canais fluviais da Formação Caturrita para esse novo setor, e onde outras ocorrências similares foram recentemente identificadas. O estudo indica a preservação de formas relacionadas às coníferas Agathoxylon africanum (Bamford) Kurzawe e Merlotti, Megaporoxylon kaokense Kräusel e Chapmanoxylon sp. cf. C. jamuriense Pant e Singh, com amplo registro no Permiano de outras localidades do Gondwana (Namíbia, América do Sul e Índia), e de mais rara ocorrência no Triássico. As relações faciológicas e estratigráficas dos níveis estudados para o Brasil sugerem uma idade no final do Triássico e seu crescimento em um contexto de rios de baixa sinuosidade e corpos lacustres associados, sob um clima sujeito a estações periódicas de seca.

Palavras-chave: lenhos, Agathoxylon, Megaporoxylon, Chapmanoxylon, Triássico Superior, Brasil.


Texto completo: PDF (English)



ISSN: 1983-3628 - Melhor visualizado no Mozilla Firefox

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0

São Leopoldo, RS. Av. Unisinos, 950. Bairro Cristo Rei, CEP: 93.022-000. Atendimento Unisinos +55 (51) 3591 1122
Projeto gráfico: Jully Rodrigues