Amebas testáceas (Protozoa, Rhizopoda) de ambientes límnicos do Parque Nacional da Lagoa do Peixe, RS, Brasil

Itamar Ivo Leipnitz, José Luiz Lorenz Silva, Carolina Jardim Leão, Fabricio Ferreira, Marco Antonio Fontoura Hansen

Resumo


Análises quantitativas e qualitativas de amebas testáceas vivas e mortas foram realizadas nos ambientes límnicos situados no Parque Nacional da Lagoa do Peixe, porção central da planície costeira externa do Rio Grande do Sul. Os resultados mostram que entre as 36 formas identificadas, as espécies Difflugia oblonga, Pontigulasia compressa e Cucurbitella mespiliformis dominam as assembléias mortas dos ambientes lênticos, com as duas últimas igualmente importantes entre as formas vivas. Nos ambientes lóticos as espécies Hoogenraadia africana, Centropyxis platystoma, Difflugia oblonga e Cucurbitella mespiliformis, foram as mais freqüentes, com a ultima estando ausente das assembléias mortas. Seis espécies mostraram ser exclusivas dos ambientes lênticos e dez dos lóticos. Plagiophrys sp., forma rara de foraminífero de água doce, é registrado pela primeira vez.

Palavras-chave: amebas testáceas, Parque Nacional da Lagoa do Peixe, Brasil.

Texto completo: PDF



ISSN: 1983-3628 - Melhor visualizado no Mozilla Firefox

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0

São Leopoldo, RS. Av. Unisinos, 950. Bairro Cristo Rei, CEP: 93.022-000. Atendimento Unisinos +55 (51) 3591 1122
Projeto gráfico: Jully Rodrigues


Crossref Member Badge Crossref Similarity Check logo