Icnologia dos ostreídeos fósseis (bivalvia ostreoida) do sul da costa brasileira

Renato P. Lopes

Resumo


Feições de bioerosão identificadas em ostreídeos fósseis de acumulações da costa sul brasileira são descritas. Os depósitos são caracterizados pela presença dominante de Ostrea puelchana d’Orbigny, 1841, seguida por O. equestris Say, 1834 e Crassostrea virginica Gmelin, 1791. Embora esses táxons sejam encontrados ao longo de toda a costa, exibem variações geográficas com relação à presença de bioerosão. Os icnogêneros mais comuns são Caulostrepsis e Entobia e Gastrochaenolites caracteriza a atividade mais comum entre aqueles do setor central da costa, sendo mais raro no setor sul. Maeandropolydora e incrustrações (p. ex. cirripédios e briozoários) são pouco numerosas. A maioria das perfurações é encontrada na superfície externa das valvas, sugerindo que grande parte dos processos bioerosivos tenha ocorrido enquanto os organismos ainda estavam vivos.

Palavras-chave: Quaternário, Ostreidae, bioerosão, Entobia, Caulostrepsis, Gastrochaenolites.

Texto completo: PDF (English)



ISSN: 1983-3628 - Melhor visualizado no Mozilla Firefox

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0

São Leopoldo, RS. Av. Unisinos, 950. Bairro Cristo Rei, CEP: 93.022-000. Atendimento Unisinos +55 (51) 3591 1122
Projeto gráfico: Jully Rodrigues


Crossref Member Badge Crossref Similarity Check logo