Fotografia participativa e relações de gênero: uma experiência visual com mulheres guineenses

Daniel Meirinho, Soraya Barreto Januário

Resumo


Este artigo se propõe a refletir sobre o processo de apropriação das narrativas visuais enquanto mediação de um grupo de mulheres africanas, do noroeste da Guiné-Bissau, de etnia Felupe. O projeto Fotografar é dar Vida, com base na metodologia Photovoice (Wang e Burris, 1997), tem o intuito de oferecer ferramentas que auxiliem no processo de reconhecimento do papel da mulher na sociedade felupe. A pesquisa-ação participativa (Participatory Action Research [PAR]) visual foi realizada em junho de 2016 com 28 mulheres nas comunidades rurais de Varela e Suzana. O projeto passa a ser compreendido como um elemento conector de experiências pessoais e mediações para que essas mulheres compusessem significados visuais acerca da saúde reprodutiva maternoinfantil. Durante os 13 encontros, este grupo de mulheres felupes fotografaram seu cotidiano, os trabalhos diários, a comunidade, a família e cerimônias tradicionais. Este artigo apresenta os relatos de campo associados às experiências de seu conhecimento prático, experiencial e conceitual de seus problemas em um processo de empoderamento baseado em uma compreensão participativa de agendas que influenciam a promoção da ideia de maternidade (Badinter, 1985; 2011), igualdade de gênero e o papel das mulheres na sociedade Guineense.

Palavras-chave: fotografia participativa, mulheres, Guiné-Bissau.


Texto completo: PDF



ISSN: 1984-8226 - Melhor visualizado no Mozilla Firefox

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0

São Leopoldo, RS. Av. Unisinos, 950. Bairro Cristo Rei, CEP: 93.022-750. Atendimento Unisinos +55 (51) 3591 1122
Projeto gráfico: Jully Rodrigues


Crossref Member Badge Crossref Similarity Check logo