Contra a BD: a nouvelle bande dessinée e sua fuga da cultura de massa

Maria Clara da Silva Ramos Carneiro

Resumo


O presente artigo aborda as disputas políticas e estéticas nas histórias em quadrinhos francesas que atravessaram e moldaram modelos editoriais nos últimos trinta anos no país, influenciando autores e habilitando novos leitores pelo mundo, ainda que um microcósmico mundo das histórias em quadrinhos. Foram vários fatores de ordem estética acompanhados de uma nova vontade editorial e política, que permitiu e acompanhou, também, o nascimento de uma nova crítica em quadrinhos. Primeiramente, apresento o debate sobre o modelo editorial que se solidificou ao longo dos anos de 1980 e o desenvolvimento da crítica e da teoria sobre quadrinhos contemporâneo a esse modelo, para, posteriormente, apresentar de que forma a geração de autores que cresceu nesse tempo buscou se afastar desse modelo, fundando uma nova forma de fazer quadrinhos, a chamada nouvelle bande dessinée. Esses autores desmontam os critérios até então considerados pela tradição como basilares das histórias em quadrinhos: o fato de ser uma arte sequencial, de ser puramente narrativo, de ser uma mídia de massa.

Palavras-chave: quadrinhos franceses contemporâneos, bande dessinée, crítica, edição, estética dos quadrinhos.


Texto completo: PDF



ISSN: 1984-8226 - Melhor visualizado no Mozilla Firefox

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0

São Leopoldo, RS. Av. Unisinos, 950. Bairro Cristo Rei, CEP: 93.022-750. Atendimento Unisinos +55 (51) 3591 1122
Projeto gráfico: Jully Rodrigues