As favelas nas intrigas do telejornal: o caso do Parceiros do MGTV

Bruno Souza Leal, Pedro Lucchesi Loures

Resumo


Este artigo desenvolve um exercício analítico sobre a identidade de um telejornal, a partir de um duplo movimento de aproximação. Primeiro, promove uma caracterização geral da primeira – e, até 2016, única – edição do quadro Parceiros do MGTV, da TV Globo de Belo Horizonte, incluindo dados gerais sobre temáticas e escolhas editoriais, confrontando-o com modos recorrentes de informar sobre as favelas no jornalismo brasileiro. Em seguida, observamos mais atentamente as narrativas de três das reportagens exibidas pelo quadro. O movimento complementar entre as escalas macro e micro envolve uma articulação metodológica entre análises de conteúdo e textual e permite ver que o esforço de inovação do quadro foi contrabalançado pelo modo recorrente de narrar do telejornal, o que fez com que as favelas emergissem nessas narrativas como que em oposição (ou resistência) ao próprio MGTV. Com isso, o telejornal passa a ser visto como um produto cuja identidade, vista para além da noção de linha editorial, se apresenta de modo tensionado e clivado internamente.

Palavras-chave: telejornalismo, narrativa, favela.


Texto completo: PDF



ISSN: 1984-8226 - Melhor visualizado no Mozilla Firefox

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0

São Leopoldo, RS. Av. Unisinos, 950. Bairro Cristo Rei, CEP: 93.022-750. Atendimento Unisinos +55 (51) 3591 1122
Projeto gráfico: Jully Rodrigues