Intersubjetividade e reconhecimento do Outro na narrativa de Eliane Brum

Mauro de Souza Ventura, Tayane Aidar Abib

Resumo


O presente artigo se dedica a refletir sobre a prática jornalística a partir dos valores manifestos pela dinâmica produtiva de Eliane Brum. Ao evidenciar os traços e os movimentos característicos a sua narrativa, objetiva analisar a possibilidade de articulação dos conceitos de encontro dialógico e compreensão intersubjetiva ao cenário profissional. Nesse sentido, desenvolve um estudo teórico acerca da filosofia Buberiana, com foco no princípio do diálogo e da palavra-princípio Eu-Tu, em conciliação com os apontamentos de Morin, Sodré e Künsch a respeito do método compreensivo. Em seguida, a proposta conceitual é aplicada na análise interpretativa das narrativas de Eliane Brum reunidas no livro-coletânea “A menina quebrada” (2013), de modo a destacar que tais entrelaçamentos permitem pensar produções textuais situadas na esfera do jornalístico-literário abertas à reciprocidade dialógica e ao reconhecimento do Outro.

Palavras-chave: teorias do jornalismo, filosofia do diálogo, epistemologia compreensiva, Eliane Brum.


Texto completo: PDF



ISSN: 1984-8226 - Melhor visualizado no Mozilla Firefox

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0

São Leopoldo, RS. Av. Unisinos, 950. Bairro Cristo Rei, CEP: 93.022-750. Atendimento Unisinos +55 (51) 3591 1122
Projeto gráfico: Jully Rodrigues