Ação coletiva e solidariedade: uma alternativa em políticas públicas de desenvolvimento

Ana Carolina Guerra, José Roberto Pereira, Maria Eugênia Castanheira

Resumo


O Estado e as políticas públicas no Brasil têm sido historicamente funcionais ao desenvolvimento do setor privado capitalista, com poucos intervalos de distribuição dos seus recursos também para os trabalhadores e trabalhadoras, embora de forma subordinada e sem força de estruturação sustentável de uma outra ordem social. Nesse contexto, surgem novas formas organizacionais que primam pelo trabalho coletivo, sob a luz da solidariedade e da autogestão. Este artigo foi elaborado com a principal intenção de analisar os sentidos da ação coletiva e da solidariedade inerentes às organizações, sendo que a preocupação teórica se fundamenta na ação coletiva, dentro de um contexto que privilegia as relações associativas de cooperação. Sendo assim, serão apresentados alguns dados e considerações acerca da ação coletiva, sob as teorias da Ação Coletiva de Mancur Olson, da Teoria do Neo- Institucionalismo de Mary Douglas e, por último, a Economia Solidária, apresentando esta como alternativa de política pública de desenvolvimento.

Palavras-chave: Economia Solidária, ação coletiva, neo-institucionalismo.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.