PORTUGUÊS-LIBRAS: ANÁLISE DAS TRADUÇÕES DE VERBOS POLISSÊMICOS POR TRADUTORES AUTOMÁTICOS

Daniela Terenzi

Resumo


Com o intuito de cumprir as determinações do Decreto 5.626/2005, muitas faculdades e universidades passaram a oferecer a disciplina de Libras aos seus alunos. Assim, o número de estudantes da Língua Brasileira de Sinais aumentou consideravelmente nos últimos anos. Devido ao advento da computação e da internet e à disponibilidade de sites, programas e aplicativos, é comum que aprendizes de várias línguas utilizem tradutores automáticos principalmente quando buscam a tradução de uma palavra. No entanto, tais tradutores não possuem, em sua maioria, a sensibilizadade para considerar o contexto de uso da palavra, a carga cultural que ela pode carregar, expressões idiomáticas, entre outros aspectos linguísticos. Considerando que alguns termos podem ter diferentes significados em uma língua, este estudo visou a investigar como verbos polissêmicos são traduzidos por dois aplicativos brasileiros, HandTalk e ProDeaf Móvel, os quais realizam tradução automática de Língua Portuguesa para Língua Brasileira de Sinais (Libras), e analisar se tais traduções são adequadas em relação ao uso real da língua. Para isso, foram analisados 3 verbos cujos significados são diferentes dependendo do contexto em que são usados e foi possível constatar que os aplicativos, na maioria das vezes, mostram traduções literais, não considerando o sentido do verbo no contexto.


Palavras-chave


Libras, Tradutores Automáticos, Verbos Polissêmicos

Texto completo: PDF



ISSN: 1806-9509 - Melhor visualizado no Mozilla Firefox

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0

São Leopoldo, RS. Av. Unisinos, 950. Bairro Cristo Rei, CEP: 93.022 -750. Atendimento Unisinos +55 (51) 3591 1122