PASSEIO AO FAROL, DE VIRGÍNA WOOLF: UMA RELAÇÃO ENTRE A PERCEPÇÃO FEMININA, A LITERATURA E A ARTE

Cristiane Aparecida da Rosa Rossi

Resumo


A leitura do romance Passeio ao Farol, de Virginia Woolf, além de proporcionar a fruição de uma narrativa bem elaborada, pode ser interpretada também como sendo uma das responsáveis pelo despertar da sensibilidade e do potencial criativo do leitor atento, em relação à percepção artística, desenvolvida pela personagem Lily Briscoe, uma pintora de telas, solteira, nas ocasiões em que esta observava a maneira como a personagem Sra. Ramsay, uma dona de casa e mãe de família, direcionava a sua conduta em relação aos  seus familiares e ao ambiente onde vivia. A análise de ambas as personagens inclui a permanência destas em uma casa de praia, localizada na Ilha de Skye, na Escócia, onde a artista observava o comportamento da anfitriã, a Sra. Ramsay, com o objetivo de enfocá-la como a inspiração para obra de arte que estava a produzir. O objetivo deste estudo consiste em analisar ambas as personagens, bem como em relacionar a representação artística obtida pela percepção feminina aos efeitos produzidos por esta sobre a pintura e a Literatura. A metodologia empregada será a análise literária do romance referido, bem como a revisão bibliográfica de outros autores. Os resultados demonstrarão que a relação entre a Literatura e a pintura é uma das responsáveis pelo despertar da subjetividade do escritor/pintor e da consciência crítica do apreciador da obra arte, seja ela imagética ou textual.


Palavras-chave


Percepção. Mulheres. Pintura

Texto completo: PDF



ISSN: 1806-9509 - Melhor visualizado no Mozilla Firefox

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0

São Leopoldo, RS. Av. Unisinos, 950. Bairro Cristo Rei, CEP: 93.022 -750. Atendimento Unisinos +55 (51) 3591 1122