EVIL, SOLILOQUIES AND THE DILACERATED INDIVIDUAL IN HAMLET

Rafael Campos Oliven, Sandra Sirangelo Maggio

Resumo


Este artigo tem por objetivo analisar a questão do Mal e a construção e simbolismo dos solilóquios em Hamlet a partir de um exame do enredo e da disposição dos personagens na peça. Ele aborda os solilóquios a partir de uma análise da linguagem, assim como um enfoque filosófico e psicanalítico da obra em questão. Uma conexão é traçada entre os solilóquios, o uso espontâneo da linguagem e o processo natural de sonhar, tendo em vista autores como Freud, Hegel e Foucault.


Palavras-chave


Literatura Inglesa; Hamlet; Solilóquios; Mal; Psicanálise.

Texto completo: PDF



ISSN: 1806-9509 - Melhor visualizado no Mozilla Firefox

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0

São Leopoldo, RS. Av. Unisinos, 950. Bairro Cristo Rei, CEP: 93.022 -750. Atendimento Unisinos +55 (51) 3591 1122