“A gente senta e vai escrever”: apropriação de práticas de letramento e da cultura escrita no desenvolvimento de Projetos Sociais Xakriabá

Augusta Aparecida Neves de Mendonça, Maria da Conceição Ferreira Reis Fonseca

Resumo


Este artigo analisa processos de apropriação de práticas de letramento e da cultura escrita, por indígenas Xakriabá, na elaboração de projetos sociais a serem submetidos a editais para desenvolvimento nas aldeias. Tais processos são compreendidos como parte do movimento de indigenização dos projetos sociais, à medida que se reconhece a disposição dos Xakriabá de incorporarem essas práticas ao seu próprio sistema de mundo.  Operando na relação dos Xakriabá com a cultura escrita pela interpenetração de oralidade e escrita, a apropriação forja uma escrita participativa que compõe o movimento de indigenização dos projetos. De uma escrita mais dependente dos parceiros externos, os sujeitos passam à confiança nos professores indígenas, e, enfim, eles mesmos se servem da escrita, assumindo a redação, com seus mistérios, rituais, restrições e possibilidades: “a gente senta e vai escrever”.

Palavras-chave: Povo Indígena Xakriabá; Apropriação de práticas de letramento; Indigenização de projetos sociais.

 


Texto completo: PDF



ISSN 2177-6210 - Melhor visualizado no Mozilla Firefox

 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional [atualizado em abril/2016]

Av. Unisinos, 950. Bairro Cristo Rei, CEP 93022-750, São Leopoldo, RS. Atendimento Unisinos +55 (51) 3591 1122 R: 3219
Projeto gráfico: Jully Rodrigues




Crossref Member Badge Crossref Similarity Check logo