Passados presentes nos Institutos Federais. Ensino Médio Integrado e as (des)continuidades nas (in)determinações da dualidade estrutural

Selton Evaristo de Almeida Chagas, Lucineia Scremin Martins, Filipe Augusto Couto Barbosa

Resumo


A criação dos Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia (IFs) e a proposta de Ensino Médio Integrado (EMI) reacende o debate sobre a “dualidade estrutural” do ensino público brasileiro, ou seja, se haveria dois tipos de escola, destinados aos estudantes segundo sua origem de classe. Para mapear tal debate, realiza-se uma incursão teórica e histórica na instauração da dualidade estrutural na educação profissional no Brasil, e uma revisão sistemática de dissertações e teses defendidas no período de 2012 a 2017 sobre a dualidade no EMI dos IFs. Conclui-se que a dualidade estrutural persiste nas práticas político-pedagógicas adotadas no EMI dos IFs. Mas se evidencia também que os IFs são conquistas rumo a uma educação emancipatória e integrada ao mundo do trabalho, fazendo-se necessários avanços na articulação dos currículos profissional e propedêutico e no acesso e permanência de jovens socialmente vulneráveis, visando sua efetiva democratização.


Texto completo: PDF



ISSN 2177-6210 - Melhor visualizado no Mozilla Firefox

 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional [atualizado em abril/2016]

Av. Unisinos, 950. Bairro Cristo Rei, CEP 93022-750, São Leopoldo, RS. Atendimento Unisinos +55 (51) 3591 1122 R: 3219
Projeto gráfico: Jully Rodrigues




Crossref Member Badge Crossref Similarity Check logo